sábado, 4 de novembro de 2017

Ao salpicar o céu da boca com o inesperado gosto da fruta!

                       

6 comentários:

  1. não serão esquecidos os sonhos! hão de perpetuar canções e as palavras escritas por seus dedos.
    como gosto destes versos, poet'amigo!
    abraços.

    ResponderExcluir
  2. Rita< Poet'amiga: se todos gostassem de versos, o mundo seria todo uma só poesia! e nada nesse mundo afugentaria a nossa tão rara alegria!
    bjs!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito, muito bonito o seu poema, caro Luís.

    Abraços portugueses!
    Jorge Vicente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito obrigado> fico muito feliz por sua delicadeza em lê-los abcs

      Excluir
  4. Poema mágico! A medida que a maçã desaparece o poema cresce ! Muito lindo de ler e muito boa a sensação que fica !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Paula fico feliz pela sua disposição em transcrever toda a sua sensibilidade e todo seu ardor estético ao descrever sua refinada sensação tão rara hoje em dia! com admiração... Luis. bjs

      Excluir